Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HOMEM DE COR

por Regilene Rodrigues Neves

Era a multidão
Uma passarela...
Teu vulto
Oculto entre milhões
Eram os centuriões
O teu cárcere.

Nas cores que pintaram tua aquarela
Não fora o matiz da tua infância
Mas o negro da tua criança
Que o mundo escravizou.

Tornou-te escárnio de uma raça
Que em praça
Tantas vezes acorrentou...Chicoteou...
E a tua inocência nada mais encontrou
Do que as lágrimas da tua ignorância!

Aquela euforia por tua presença
Tema da tua figura abandonada
Na calada da tua dor!

Tantas vezes
A fome roubava-te a lucidez
E no definhar da tua sensatez
Jogavas teu corpo pelas calçadas
Na tormenta da carência
E do desamor

Rastejava pelo passado
Em busca de um princípio
E no teu início
Nada mais que um homem de cor
Que a humanidade escravizou!

Marcou
Fez-te piadas
Motivo de risadas
Por quê?
Porque era negra tua cor!





regipoeta
Enviado por regipoeta em 19/08/2006
Código do texto: T220449

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
regipoeta
Goiânia - Goiás - Brasil, 54 anos
1312 textos (134397 leituras)
22 e-livros (7176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:27)
regipoeta