Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Beijando a natureza:



Abraçado, a solidão.
Vou andando sem destino
Cruzando verdes campos floridos
Apreciando a natureza, sou andarengo.
Sem me importar, se estou sozinho.
Se em minha volta, existe um deserto.
Pra onde eu olho só vejo o horizonte
Nem tão próximo, nem tão distante.
Sinto que eu devia tentar ultrapassa-lo
Mas os anos se acumulam a minha frente
O distancia entre eu, e o horizonte continua.
Sem desistir, vou beijando raios de sol.
Beijo a brisa que beija meu rosto,
Beijo à noite que me abraça, e me beija
Beijo a lua que me beija com raios de pratas
Beijo o orvalho que beija a relva, que me beija.
Beijo as estrelas, que me beija na madrugada.
Beijo as nuvens que me beijam, eu beijo o céu.
Bendigo aos trovões, e aos relâmpagos.
Que anunciam chuvas, que vão molhar a terra.
Para que a terra possa florescer cada vez mais.
Que a semente fecundada, germine o amor
Para todos terem a mesma certeza, que tenho.
Que os pingos de chuva que beijam meu rosto.
São pingos de fé, gotas de esperança, e paz.
Fazendo-me querer, viver só na natureza!

vovonei

Balneário dos Prazeres
           29/06/06






Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 25/08/2006
Código do texto: T224643
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147466 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:41)
Volnei Rijo Braga