Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Por que meu PAI se foi?

Por que a verdade é esta? A vida tem fim?
Do nada até a flor, do verme até à pedra.
É sempre a mesma vida incômoda, nefasta...
Que a dor do Universo em toda parte medra.

Assim, talvez um dia, eu que prefiro a Lua
A tudo quanto é bom, e tudo quanto é são
Torne-me por destino, em pedra duma rua
Que toda massa acalque, a doida multidão

Talvez eu venha a ser um Girassol de um cemitério
O Manto Azul, que cobre um Oceano
A vida não tem fim, como o destino humano
E se o não ser é tudo, o nada é um mistério...

 
Zedio Alvarez
Enviado por Zedio Alvarez em 05/09/2006
Reeditado em 29/11/2015
Código do texto: T232921
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zedio Alvarez
Petrolina - Pernambuco - Brasil, 59 anos
3324 textos (117351 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:39)
Zedio Alvarez