Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dilacerações - Muito Além do Jardim

As vistas fatigadas
Cansadas de querer enxergar
Aquilo que a imaginação audaz
Apenas lhes permite ver
Mas, esse cansaço não é o bastante
Nossa ingenuidade insiste
As  vistas não cederam
- ainda -
Ao tempo demolidor
Antes, o que não existe  mais
São os objetos que um dia
(Imagonou-se??)contemplou-se
Não só as vistas
A voz já não pode
Trazer um bom eco
E isso quando têm algum retorno
Os ouvidos não ouvem mais
A abundância de "vozes"
Tornou-se um enxame ensurdecedor
Que repelimos
Não nos rebelaremos
Contra as Leis Universais
Não somos exceção e nem especiais
O mundo impessoal nos ignora
Os átomos sempre seguem
Iremos, apenas, consumir-nos
Enquanto pensamos acontecer
Enquanto tentamos existir
Sem nem pensar em ser
Consumir-nos-e-mos
Gradativamente
Avidamente
Inutilmente e
Finalmente
As dilacerações?
Muito além de nosso jardim protetor
Não mais que estanques
De nós  mesmos
Partes fragmentadas de nosso ser
Na guerra imaginária
Que só acaba com nosso próprio fim
Meios?
Detalhes?
Insinuações no percurso?
Não. Somente duas palavras:
Fim trajeto
E se o tempo e a impessoalidade
Invadirem teu jardim
E pisotearem, matando,
Todas as tuas verdades em flores
Aguça tua visão, tua voz e teus ouvidos
E contempla neste único momento de lucidez percuciente
A única coisa que tanto procuraste
E pela qual clamam tuas entranhas
Ferventes de um porto
Lugar-comum para depor os medos, dores, incertezas e
                                      [interrogações
Contempla tua queda livre
Teu fim trajeto
A não existência de sentido
O nada em tudo
A tua própria ausência
Presa em tua própria vida.

Thaís Paloma - Campanário
Campanário
Enviado por Campanário em 05/09/2006
Código do texto: T233432
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Campanário
São Paulo - São Paulo - Brasil, 30 anos
44 textos (7392 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:37)
Campanário