Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



CALO O VERSO...
 
 
Fiz  silêncio diante do tempo...
A matéria ressona em
caminhos de dúvidas
e o coração tangeu
em sons de lamentos
as lágrimas que verteu.
 
Fecho os olhos,
adormeço a inspiração
e calo o verso...
Do poema de amor
apenas restou
respingos de saudades.
 
A perfeita harmonia
perdeu-se nas imperfeições
das trilhas da vaidade.
Alma sem brilho,
triste e sem tino,
recolhe-se retraída
em puro desatino.
 
Emoções desfolhadas
afloram em terras enodoadas,
cercadas por espinhos de solidão.
O canto ilhado
em notas sem tom,
desafinado,
perdido nas partituras inacabadas
dessa vida destoada.
 
A poesia empobreceu
com a rejeição que mutilou
os tantos sonhos meus...

 
29/08/2006
 
Anna Peralva
Enviado por Anna Peralva em 06/09/2006
Reeditado em 12/06/2011
Código do texto: T233702
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anna Peralva
São Gonçalo - Rio de Janeiro - Brasil
1582 textos (60681 leituras)
3 e-livros (572 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:34)
Anna Peralva