Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

não mais aqui, fora de mim, por favor!


não mais cor ou movimento
não mais minha mão por cima da sua repousando
não mais aventuras por telefone no meio da madrugada
não mais amigos nas sombras ou embaixo do poste
não mais créditos concedidos a você
te dou permissão pra esse mundinho bizarro e nojento em que seu exercito vive

seu órgão está em tesão profunda
condene isso quando não for por amor
ou mais um simples ato de falsa-nobreza para com sua mente
sua rosa não é mais tão viva quanto era antes

não preciso de seu olhar em minhas costas
teu show para o invisível acabou
você desfila pra ninguém e ninguém te vê
transe sem camisinha e veja no que vai dar
tua alma perdida cada vez mais
de um chute nele e pegue tua próxima senha
a outra que levará um coice na face será você

me estafa essa tua indulgência mental
não se venda a mim por tão pouco
eu sequer dou atenção ás suas piadas grotescas

você reza antes de deitar?
sabe que tem um anjo da guarda a te proteger?
não venha querer dar uma de “bem-humorada” ou “cool”
seria melhor você se enfiar debaixo dessas tuas cobertas
nessa tua mistura bizarra de cheiros e desejos inconstantes
nessa sua arrogância de prato cheio
nesse seu mar de orgulho e infidelidade

não quero mais navegar em teus pensamentos
eles não me fazem progredir em nada
fora da minha vida por favor!
tenho de me afastar de perdedores
não por mal ou malicia
não por raiva ou rancor
desejo de ambição ou lucro a qualquer custo
mas eu tenho mesmo que cair fora de você
senão sucumbo como monstro com flecha no peito

me deixe ir sem ter hora pra voltar
me deixe ser quem sou sem ter que te dar satisfação alguma

não sei se eu queria o não ver a tua morte
não sei se eu posso ou não
mas temo em te dizer que as estimativas estão aumentando
não queria ver vocês perdidas
alucinadas em seus shows babacas
em suas roupas retalhadas da Coréia, USA e Brasil-Classe Média-Pretensiosa

até quando isso em você vai durar?
até quando vou ter que te ver como bêbada sóbria
nesse seu porco mundo sem revanche de nada?

você não evolui
você não progride
em seu sexo anal você cristaliza seus desenvolvimento espiritual
me da licença
vou embora
não quero mais
não desejo mais
não tenho mais
nunca tive
nunca falou comigo de verdade
nunca me deu a verdade
não me proporcione mais desilusão

não mais aqui, fora de mim, por favor!
Rônaldy Lemos
Enviado por Rônaldy Lemos em 13/09/2006
Código do texto: T239299
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rônaldy Lemos
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, 34 anos
1173 textos (70511 leituras)
70 áudios (455 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:06)
Rônaldy Lemos