Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COLÓQUIO

O que tu queres ó minh’alma?!
O que te inquieta tanto?
Por que esse teu pranto,
Lânguido,
Sofrido,
Amargurado...
Como que lamentações?

Porque desejo amar sem medida;
Mas não encontro no limite,
saída...
satisfação...
nem lugar.

Estou perdida entre açoites
de sentimentos...
Na verdade são tormentos
que não me deixam sossegar.

Não sou finitude...
Sinto em mim mesma;
Ao mesmo tempo pequenina,
Confusa,
Sobressaltada,
Esmagada
Por meus próprios instintos vorazes.

Tenho faculdades:
Intelectiva,
Volitiva,
Apetitiva
E muito mais...

Sou o que sou...
Não nego...
Porém não sossego
Enquanto não encontrar a paz.
Não a paz que me apraz...
Porque incerta como eu.
Mas a paz...
Mais que desejada,
Querida,
Almeja,
Vinda da Vontade do Pai!
Frei Fernando Maria
Enviado por Frei Fernando Maria em 16/09/2006
Reeditado em 19/09/2006
Código do texto: T241545
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Frei Fernando Maria
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 57 anos
992 textos (215083 leituras)
87 áudios (18784 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:48)
Frei Fernando Maria

Site do Escritor