Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O consolo que me resta

Descamba no arrimo da minha sobriedade
cada beijo, cada abraço,toda alegria,
agora incide em mim, apenas:
mínimas lembranças.

Lembanças do que é amor.
Vivido em gozo de felicidade
em cada dia, cada sorriso,
levado pelas ondas e júbilo
do meu modésto prazer.

Lebranças que me faz agora
Chorar e sorrir a agonia da solidão
Deixada como melhores momentos
Tudo que vivemos ao embarque desse amor.

Agora, velo-me a ígreme desesperaça de viver,
pois, já não vale mais a vida,
se não te tenho, se não te vejo.
se me despe desse sentir você.

Se não velejamos mais este barco
que conduzimos nesse mar que agora finda,
Naufrago. Naufragamos...
Morro no consolo do que me resta
desse amor que vivemos:
Apenas lembraças.
Lembranças do que valeu a pena.

CALIXTO
Enviado por CALIXTO em 21/09/2006
Código do texto: T245799

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CALIXTO
Itagi - Bahia - Brasil
222 textos (11574 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:48)
CALIXTO