Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NA HORA DA CHUVA






          NA HORA DA CHUVA


CHOVE CHUVA, MOLHA MINHALMA;
MOLHA MINHA TERRA MOLHADA
QUE O SOLO AINDA NÃO ENCHARCOU.

ÁGUA E LÁGRIMA , SÃO TANTAS, MAS NADA ME CONSOLA;
LEMBRANÇAS DA BENDITA QUERIDA TERRA ESCOLA;
MAS QUE O SOL QUE CARREGO AQUI DENTRO
AINDA NÃO SECOU.

NA HORA DA CHUVA QUE POR ORA ORA;
CHOVE A CHUVA E ALMA CHORA;
DE UM TEMPO IDO QUE NÃO PASSOU.

TOMARA DEUS QUEIRA
EU POSSA DIZER-ME AGORA
ALMA DECOLA;
PARTE;
PARTE COM AS PARTES PARTIDAS DO TEU CORAÇÃO;
PORÉM CONSOLA OS AFLITOS
QUE NÃO TÊM ÁGUA PARA SACIAR SEUS GRITOS;
REPRIMIDOS DO TEMPO DO NÃO.

TUAS VIDAS, TUAS SINAS;
SÃO TANTAS IDAS E VINDAS;
BEM SABES NÃO SABES VOAR AINDA.

MAS ENCHUGA TEU ROSTO,
TEU PRANTO SEI QUE TU CONTROLAS;
LEVANTA AQUELOUTROS SEDENTOS
QUE DA TUA PALAVRA ESMOLA;
POIS ÉS ESTEIO NA TERRA FIRME
QUE O TELHADO SE ESCORA.


ABRIL/2004 – Belém –Pa.
PEDRO FERREIRA SANTOS (PETRUS)

Petrus
Enviado por Petrus em 15/10/2006
Código do texto: T265268

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Pedro Ferreira Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Petrus
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
173 textos (26450 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 16:09)
Petrus