Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOL A SÓS COM A SOLIDÃO





            SOL A SÓS COM A SOLIDÃO

Sol que és tão belo, ilumina nossos passos.
redescobrir o caminho da partida e o recompasso.
Oh céus, oh céus!
onde está a paz de outrora?
mas se é pra pensar no futuro distante;
como é que vai o nosso presente instante?
Vigiar, vigiar, vigiar...! Viajar, viajar, viajar...!

Preciso sorrir sem deixar de impedir a lágrima cair,
preciso ser forte, sem perder o encanto do belo.
Sol..., sua beleza e sua luz sei que amanhã virão;
porém ainda é noite sem lua;
agora não és Sol;
agora sois SOLidão.

O sono não vem, contudo já não me sinto tão só;
tenho a companhia de uma caneta para me ajudar;
reflito o meu grito,
lembro agora que mais difícil é não ter estrada pra caminhar.

O ponteiro do relógio gira incessantemente
E amanhã não vai chover intensamente.
E se chover;
construirei um barco e navegarei com as águas dos meus olhos para um mundo melhor.


Oh Sol, como és bom, ainda não chegaste,
mas já te fazes presente.
preciso agora de uma centelha da tua luz para ingressar
no escuro do meu ser.
Reencontrar-me contigo, pois na verdade,
nunca saíste de mim, e sim somente  deixei de te ter.

Outrora eu tinha a paz dos ignorantes;
porém também a alma dos de antes.

Sol, oh meu amigo Sol;
Lá é bem longe daqui;
mas se existe outra condição...
...como sou feliz por estarmos a sós na SOLIDÃO.

PEDRO FERREIRA SANTOS (PETRUS) 1995




Petrus
Enviado por Petrus em 15/10/2006
Código do texto: T265278

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Pedro Ferreira Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Petrus
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
173 textos (26454 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:53)
Petrus