Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESLIZANDO O POEMA






DESLIZANDO O POEMA







Desisti de entender
a incompetência.
As estrelas que habitam
meus dedos
amaciados
no sabor
de frutas silvestres,
recusam-se aceitar
delírios tóxicos
de imbecilidades.
Tripas, alma, rins,
entram em pânico
metralhando
um organismo
necessitado de ser.
E o coração
em pranto, acalma-se
hipnóticamente com
as letras que aportam
a ponta da língua,
feito açúcar
deslizando
o poema
deitado na alma.
Preciso de ti, menino
palavra.
Vem e dorme
na cama verde água
de meu pensamento,
acorda com bocejos
e senta meu teclado
lambendo  beiços.
Abre a boca lânguida
e diz a quem quiser ouvir,
que és tu
quem estanca feridas
sangrentas do soco
que na vida há!






                                                             RJ – 17/06/2006
                                                               Ivy Gomide



***********************************************************


Ivy Gomide
Enviado por Ivy Gomide em 18/10/2006
Código do texto: T267111
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ivy Gomide
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
16 textos (466 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 16:58)
Ivy Gomide