Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O silêncio com ares de rebuliço

O silêncio velado intransponível
Fez-me entrar em uma redoma de perspectivas
Que perambulavam por esferas alucinantivas
Pela percepção de todas as abdicações
Da vivência em roupas de branco

O ar febril que respirava
Quase com ímpeto me seduzia
E ao mesmo tempo, me limitava de tal forma!
Que se quisesse sair dali intacta
Não seria capaz de contar-lhes as palavras

Tentei com calma organizar a amplitude de tudo
E peguei-me assim calada observando
Cada detalhe do corpo na cama, da mesinha pequena
E a pensar no que vira um leito do lado do outro
Assim sem licenças esperando as incertezas

O que me chamava era uma espécie de rito
A alma se enchia de uma vontade nova
Dessas que só se sente quando se tem sono
Quase tonta, beirando o êxtase vingativo
Esperando apenas que o corpo cansado, sobrevivesse

Todos os olhares, todas as formas
Via-me cada vez mais naquele ambiente trancado
E precisava experimentar tocando a experiência
Eis que no momento de minha loucura temporária
Aparece duas senhorinhas com ares de rebuliço

Recompus-me à forma habitual naturalmente certa
E dali por diante os minutos que eram lentos
Correram ao encontro da alma daquelas duas criaturas
Quase divinas esperando ouvir daqueles corpos torpes.
Sorri por dentro um instante
E fui observar uma árvore cheia de galhos no jardim
Lady Sophia
Enviado por Lady Sophia em 29/10/2006
Código do texto: T277076
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lady Sophia
João Monlevade - Minas Gerais - Brasil, 25 anos
147 textos (6551 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:36)
Lady Sophia