Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Talvez seja essa insensatez na tez do poeta feliz.




Nascido no tempo certo
Crescido na incerteza
Nem tinha como fugir.

Agora longe do próprio império
Num horizonte indefinido
O nada para encontrar
Como o mar que bate nas encostas
Sem receber noticias.

Espaço, espaço
Deserto do Saara
Introduzido numa cápsula
Numa viajem eterna
Natureza morta
Fruta sem gosto
O gosto insosso
Marcas da paixão
Magoas no fim
Falência do ser.

As palavras que restam
É nessa única esperança
Que um por do sol
Aconteça numa noite
Impregnando o ar
O ar que se respira
A pele que transpira
E acaba curando.

O que tem haver
O poeta com isso?
Simplesmente tudo.
Condor Azul
Enviado por Condor Azul em 05/11/2006
Código do texto: T282876
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Condor Azul
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 54 anos
721 textos (26292 leituras)
1 áudios (175 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:25)
Condor Azul