Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(sem título)

Me defino como um composto inflamável de desejos
Que quando inflama, seu fogo apenas queima, não aquece...
Mas não pense que falo dos desejos fortes
Eu falo dos desejos mais desesperados,
Falo daqueles que me viciam em alívios imediatos!
Exatamente aqueles que você me desperta...

Então não me dê tapas na nuca e nem nas costas
Me dê tapas na boca em na busca de sua saliva,
Num encontro de contornos labiáis com o mundo aos meus pés
Apenas para alimentar esse fogo que só arde!

Sou às vezes um corpo fraco para tais impulsos!
Sou desejos materializados em carne fraca,
Sangue quente, coração pulsante,
Ossos que quebram e olhos que choram...

Muitos enxergam esse fogo como uma mentira,
Eu o vejo como mistério!
(Apesar de ser mais inquietante)
Um mistério que desvendo em sua beleza e ser
Ou então, devora-me, queime!
Augusto Sapienza
Enviado por Augusto Sapienza em 06/11/2006
Código do texto: T283316

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Augusto Sapienza
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
52 textos (2158 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 11:51)