Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM CASO DE ASSOMBRAÇÃO


CHAMAVA-SE MANOEL, VULGARMENTE CONHECIDO COMO MANÉ. ERA UM MOÇO FORTE, NEGRO COMO O ÉBANO, BEM AFEIÇOADO, UM VERDADEIRO PEDAÇO DE MAU CAMINHO. FALAVA MANSO, TINHA UMA PACIÊNCIA QUE ERA UM DEUS NOS ACUDA! NASCEU E SE CRIOU EM NATUBA,  INTERIOR DA PARAIBA, UM LUGARZINHO PREVILEGIADO PELA NATUREZA, DIZEM QUE PERTO DE LÁ TEM ATÉ PLANTAÇÃO DE UVAS! E LÁ TAMBÉM TEM UMA GRUTA ONDE BROTA UM OLHO D’ÁGUA  CUJO RIACHO VAI DESAGUAR NO RIO PARAIBA.

A GRUTA FICAVA NO MEIO DA MATA: A AGUA CAÍA SOBRE AS PEDRAS, FORMANDO UMA PEQUENA CACHOEIRA,QUE DESCIA NA BOCA DA FURNA; UM RIACHO CRISTALINO DESCIA MANSAMENTE ENTRE AS PEDRAS E AS SAMABAIAS. HAVIA UMA GRANDE VARIEDADE DE ORQUÍDEAS E PLANTAS SILVETRES, QUE DAVAM UM AR PARADISÍACO ÀQUELE LUGAR.

ERA PERTINHO DALÍ QUE MANÉ APÓS UMA CAPINADA E OUTRA DESCANSAVA TRANQUILAMENTE DEBAIXO DE UMA MANGUEIRA. CERTO DIA  ELE SENTIU UM AROMA SUAVE E MUITO ATRAENTE. MANÉ LEVANTOU-SE E PERCEBEU QUE O CHEIRO VINHA DA GRUTA. CURIOSO E TEMEROSO, ESCONDEU-SE NO MEIO DA FOLHAGEM. E ELE VIU DE ONDE VINHA A ORIGEM DAQUELE PERFUME.

- QUE MARMOTA É ESSA? BRADOU DANDO UM SALTO PARA TRÁS.

ERA A CRIATURA MAIS BONITA QUE ELE JÁ TINHA VISTO NA FACE DA TERRA: OS CABELOS LOIROS DESCIAM ATÉ AS NÁDEGAS FORMANDO UMA LINDA CASCATA DOURADA, OS OLHOS AZUIS PARECIAM DOIS PEDACINHOS DO CÉU. ESTAVA COMPLATEMENTE NUA E BANHAVA-SE NA CACHOEIRA SEM NENHUM PUDOR. 

MANÉ FICOU ESTARRECIDO, E MUITO EMBARAÇADO TENTOU SE EXPLICAR:

- DONA ME ADESCUPE, EU...
- DESCULPAR O QUÊ HOMEM? SE AVEXE NÃO!  VEM CÁ. FALOU TODA FACEIRA..
- FAZER O QUE AÍ DONA?
- VEM ESFREGAR AS MINHAS COSTAS. VIROU-SE EXIBINDO AS BELAS CURVAS.
- DONA MUIÉ DEREITA NUM SE MOSTRA ASSIM NÃO! NUM MOSTRA NEM O MOCOTÓ, AVALÍ O RESTO... ISSO É COISA DE QUENGA.
- DEIXA DE BESTAGEM HOMEM, VAI DIZER QUE TU NUNCA VIU?
- VI NÃO SINHORA.
- ENTÃO VEM VER DE PERTO.
- CARECE NÃO SINHORA, EU JÁ SEI COMO É.
- ENTÃO VAI PEGAR UMAS MANGAS PRA MIM?  FALAVA  TENTANDO SEDUZIR O POBRE HOMEM.
- ME ADESCUPE, MAS EU TÔ NUMA CANSEIRA DE DÁ PENA, TRABAEI INTÉ AGORA.
- MAS MANEZINHO , VOCÊ NÃO ACHA BONITA?
- COM TODO RESPEITO, A SINHORA É A MUIÉ MAIS BONITA QUE JÁ VÍ, SÓ DE OIÁ DÁ AGONIA NAS VISTA.
- E ENTÃO?
- ENTÃO-SE O QUE?
- VEM ATÉ AQUI, NÉ?
- DONA EU COMI UMA JACA. TÔ COM O BUCHO CHEIO, SE EU ATREVESSAR O RIACHO VAI DÁ  UM NÓ NA MINHA TRIPA. A SINHORA TÁ ME DEIXANDO APERRIADO.
- PORQUÊ HOMEM? EXIBIA-SE SENSUALMENTE.
- TÁ AZUCRINANDO O MEU JUIZO.
- TU TÁ FICANDO DOIDINHO POR MIM NÈ?
- DONA A SINHORA É FORMOSA POR DEMAIS, É UMA GALEGA DANADA DE BONITA, CHEIROSA QUE NEM FULÔ, MAS É MUIÉ DESAVERGONHADA. EU SOU DEVOTO DE SÃO JOSÉ. SAFADEZA SÓ FAÇO DEPOIS DO CASÓRIO.
- MAS QUE CABRA MOLE! PARECE QUE NÃO É MACHO! FICOU VERMELHA QUE NEM BRASA, E NUM ARROUBO DE FÚRIA DESAPERACEU NUMA NÚVEM DE FUMAÇA. UM CHEIRO DE ENXOFRE SE ESPALHOU PELO AR.

- DANOU-SE! TÁ COM A GOTA SERENA DONA?, QUE ASSOMBRAÇÃO É ESSA? MUIÉ BONITA ENGANA INTÉ O CÃO!
MANÉ PEGOU A ENXADA E VOLTOU ASSOMBRADO PARA O CAFESAL.

NAQUELA REGIÃO COMENTAVA-SE MUITO SOBRE A COMADRE FULOZINHA. ELA ERA UM TIPO DE ASSOMBRÇÃO QUE ENFEITIÇAVA OS CAÇADORES, E FAZIA TRAQUINAGENS COM OS ANIMAIS. DIZEM QUE É AMIGA DO SACI PERERÊ E DA MULA-SEM-CABEÇA.
CRUZ CREDO! 


----------------------------------------------------------------------
*EM MEMÓRIA DE MANOEL FRANCISCO DE ARRUDA  UM
HOMEM SIMPLES DA ROÇA, QUE NUNCA FREQUNTOU UMA ESCOLA
 MAS ERA UM EXCELENTE CONTADOR DE ESTÓRIAS



jambo
Enviado por jambo em 07/11/2006
Reeditado em 02/02/2009
Código do texto: T284751
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
jambo
Campina Grande - Paraíba - Brasil
308 textos (68136 leituras)
9 áudios (1542 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:42)
jambo