Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESTANDARTE FARROUPILHA

Gaúcha Nação Proletária
Aqui somos todos irmãos
Comunidade igualitária
Cultores da tradição
Atitudes humanitárias
Peculiares deste chão
Idéias revolucionárias
Irmanam-se ao chimarrão
Povo de alma libertária
Afeito à revolução

Riograndenses nativistas
Que jamais se dobrarão
Brasileiros ativistas
Peleando contra a opressão
Desumana e terrorista
Estadunidense globalização
Invasores imperialistas
Pregando paz de armas nas mãos
Reacionários capitalistas
Agredindo povos matando irmãos

"De cada um a sua capacidade
 A cada qual as suas necessidades"
Funde-se ao nosso Lema:
Liberdade - Igualdade - Humanidade
Estandartes do gauchismo
Unindo campos cidades
A um telúrico civismo
Dos índios naturalistas
Primícias do socialismo
À sociedade comunista

Nossa voz querem calar
Amputar nossa geografia
História idioma modificar
Encarcerar a rebeldia
Midiática anti-popular
Alienante que atrofia
Homens armados também são explorados
Hipócrita soberania
Neoliberais mercenários
Serviçais da tirania

Afro ameríndio torrão sulista
Tens a predisposição
De querência socialista
Onde os meios a produção
E a propriedade coletivista
Suprimindo a exploração
Do escravocrata parasita
Explorador da prenda e o peão
Nossa classe operária
Vanguarda desta Nação

Paz entre nós prendas peões
Dos patrões nada esperamos
Só menos direitos mais deveres opressões
Pois suas riquezas com nosso suor que edificamos
É escravistas pertencem aos produtivos a mais-valia
Que a violenta burguesia recolheu
E o Estado opressor do dia-a-dia
Não restitui ao povo o que é seu
Vamos perder os nossos medos com saber e galhardia
E reconquistar na luta o que da história se escondeu

Rememorando os feitos de nossos ancestrais
Revolucionários transformando o mundo
Revivendo anseios e seus ideais
Princípios e valores de um amor profundo
Quais aos Farroupilhas não morrem jamais
Povos e heróis sobrevivem juntos
Vinde então retrógrados boçais
De bico aberto e garras adunca
A luz dos mártires não se apagam mais
 E a voz dos poetas não se calam nunca
                               jamais!...

http://rsinsurgente.blogspot.com/
www.recantodasletras.com.br/autores/jpfalcao
Jonas P Falcão Poeta dos Sete Povos das Missões
Enviado por Jonas P Falcão Poeta dos Sete Povos das Missões em 14/11/2006
Reeditado em 01/08/2011
Código do texto: T290815

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jonas P Falcão Poeta dos Sete Povos das Missões
Sapucaia do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, 36 anos
24 textos (12453 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:07)
Jonas P Falcão Poeta dos Sete Povos das Missões