Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Menino de Rua

Amanheceu! O sol me desperta.
O corpo doido pela dura calçada.
Os  pés sujos  pela terra pisada
Sem sapatos e sem nada, me fazem chorar.

Buzinas e gritos, ruídos de gentes
Que sempre ausentes passam sem perceber.
A fome é real, a sede é sem fim.
E o que fazer de mim se esquecido estou?

Brinquedos são latas catadas uma a uma,
Vendidas por nada para a fome matar.
Papeis são dinheiro, o lixo é um  tesouro
A sede aumenta, o trabalho é duro.
A vida é a escola e a matéria é a dor.
E seja como for, não dá para fugir,
E para onde fugir?
Para outra calçada, outra terra pisada por sapatos de couro.

Preciso de alento, nem que seja  um momento,
E só o cheiro da cola me faz esquecer.
Furtar não é bom, mas também fui roubado,
De um sonho acordado que a muito se foi.

Violências nas ruas, gangues se enfrentam,
Meninos se matam.
E eu preciso de um Pai!

Não com vara ou chicote, mas de braços abertos.
Um ombro amigo onde eu possa apoiar
A cabeça cansada sem esperança e sem nada,
Iludida que um dia tudo possa mudar.

Que da dura calçada, uma cama, um lençol,
Um sapato de couro, um chinelo de dedo.

E alguém que me diga que o amor ainda existe.
E alguém que me prove que o amor ainda existe.


M Machado
Enviado por M Machado em 14/11/2006
Código do texto: T291155
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
M Machado
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 53 anos
13 textos (1115 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:43)
M Machado