Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A raposa e o corvo

No frondoso arvoredo, empoleirado e garboso
pousado corvo e seu apetitoso queijo no bico,
quando do alto mirou a raposa em riso formoso,
desmanchando-se ao tom do elogio nada franco!

Caro doutor corvo! Sua melodiosa voz,tão bela
como a plumagem o tornam um fênix do bosque,
invejado pelos dons que sua alta nobreza revela,
arrepiando a bichara, frenesi no seu rabiosque!

Vaidade ansiosa por exibir a possante voz a ela,
soltou o canto do corvo, indo ao chão sua presa,
da qual se apoderou subitamente aquela raposa,

dizendo que ao bajulador basta ouvido sentinela
e toda vergonha de um corvo irado, não interessa
quão grande confusão, vale um queijo mussarela!

Moral da fábula de La Fontaine:
"O bajulador só vence, porque sabe enxergar as qualidades das pessoas".

Santos-SP-14/11/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 14/11/2006
Código do texto: T291342
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 06:17)
Inês Marucci