Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Augusto Massa

Augusto,
não gosta
nem desgosta
nem quer resposta
(não tem perguntas)
sequer aposta na vida!
Em suas emoções frígidas
não inicia nem finda

Augusto Massa
assina A. Massa,
mas ele que é
amassado, devorado
e desvirginado
pela fome dessa vida
que regurgita-o
ardendo em azia!

Augusto
é como maracarrão instantâneo:
(um modismo contemporâneo)
rápido, prático
(plástico)
e objetivo
mas nada nutritivo!
Feito na massa
da moda foda...
Uma massa cinzenta
com mídia-molho de tomate
em banho maria
de um dia
sem tempero,
sem responsabilidade,
sem visão,
só às vezes tesão,
mas sempre desespero

Augusto,
nem franzino,
nem robusto,
apenas massa
que acha graça
nas estrelas
como clitóris noturnos
para suas emoções frígidas
a serem tocadas
com suas fardas,
suas farsas
que escondem o gosto,
escondem estrelas,
escondem o Augusto Massa!

Cadê o Augusto Livre
que gosta,
que ama,
que vive?
Está amassado!
Está emassado!
Frígido em si!...
Augusto Sapienza
Enviado por Augusto Sapienza em 15/11/2006
Código do texto: T292102

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Augusto Sapienza
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
52 textos (2158 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:27)