Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Para quando declinar minha esperança

Coragem, meu coração,
reveste-te de mantos estóicos
e pondera, no auge da dor,
quando seus sustentáculos
e enlevos partirem como
finos cristais, e olha
adiante, não para um horizonte
de falsas esperanças onde
só habitam os murmúrios de
equívocas realizações,
mas para aquele confluir
onde as nobrezas ainda
fulgem como esteios, e
onde nunca se rompem os
calores que preenchem nossos
calafrios, pois sabes, como
summum de todas as ânsias e
expectativas vividas,
que o flagelo do amor
somente está reservado
para aqueles que de fato
ainda possuem, no seu íntimo
e no seu silêncio invelado,
a dádiva de um coração
pulsante, coroado dos
rigores da vida...
ErlKoenigKunstler
Enviado por ErlKoenigKunstler em 18/11/2006
Código do texto: T294415

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Carlos do Carmo Guimarães, www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ErlKoenigKunstler
Santo André - São Paulo - Brasil
74 textos (3066 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:17)
ErlKoenigKunstler