Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANONIMATO


Que ser é esse tão impuro
Que faz parte desse mundo
Que anda pelas ruas
Que vaga sem destino
Que chora toda noite
Que vive em desatino

Que ser é esse
Que fecha os olhos para o mundo
Vive feito um vagabundo
Nasce e cresce sem prazer
Que ao fim de cada dia
Só sonha em morrer

Que ser é esse que comove tanta gente
Que com medo segue em frente
E não pensa no futuro

Rouba, mata
Sofre, chora
Busca forças para viver
Enquanto isso se humilha para ter o que comer

E a vida passa sem resposta
Todo mundo tranca a porta e finge não saber

Quando me vejo assim tão perdida
Desamparada na vida
Abandonada nesse mar de incertezas
É sem dúvida meu pior momento
Ando, penso em tudo ao mesmo tempo

Vôo ao céu, visito as estrelas
Alcanço a lua com os pés no chão
Fecho os olhos e vejo o infinito e tudo é tão bonito
Pena ser ilusão
Pauline Campos
Enviado por Pauline Campos em 18/11/2006
Código do texto: T294619
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Pauline Campos
Itabira - Minas Gerais - Brasil, 33 anos
12 textos (601 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:13)