Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

o aluno

me fala que tangencio a poesia
que nunca que poderei chegar lá
me fala de alegoria
eu falo de shangrilá

me diz que é pouco rico o que escrevo
me faltam motivo, risco, emoção
reclama do meu enredo
reclama do meu blusão

alega que sou passado, mobília
que estou dentro do inventário
me sinto isolado na ilha
ou esquecido no armário

discorda dos versos longos, sem peso
sem cheiro ou sabor da flor do algodão
vai logo me dar o desprezo
vou logo pedir-lhe perdão

reclama que eu nunca tive uma trilha
um rumo, um conteúdo bacana
escuto e boto pilha
pra ver se ela se engana

um dia queixou-se da minha rima
tentei versos livres, mas ela nem viu
e me disse ainda por cima:
"a sua poesia sumiu"

por fim, me aconselhou a desistir
da idéia de querer versejar
pois não tenho o que exprimir
e nem como me expressar

e disse que o que a entristece é ver
que enfim eu não sei poetar
eu teimo em querer aprender
mas ela não quer me ensinar!


Rio, 21/06/2006
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 19/11/2006
Código do texto: T295964

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6596 textos (144494 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 08:53)