Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUE SEJA DITO... O BRASIL NÃO É SÉRIO!

Lailton Araújo


O Brasil é um país ímpar quando comparado a qualquer outro! Nos primeiros anos da formação escolar, as crianças - aquelas que conseguem estudar - aprendem que sua nação é gigante pela própria natureza, bela, forte, e o futuro espelha grandeza.. É ufanismo exagerado! O Hino Nacional Brasileiro (Letra: Joaquim Osório Duque Estrada / Música: Francisco Manuel da Silva) soa como propaganda enganosa. Os pais desses meninos e meninas devem procurar o PROCON - Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor e exigir o cumprimento total de seus direitos.

O Brasil-Brasileiro pode ser comparado a uma empresa de porte colossal: impávido e colosso! Ele vende, compra, cobra e fornece serviços à sociedade. A elite dos consumidores é contemplada com serviços de qualidade. O povão fica ao Deus dará. O faturamento da citada Empresa-Brasil ocorre na forma de arrecadação de impostos. Vários tributos são injustos, e lembram cascatas progressivas. Outros são necessários à sobrevivência da máquina empresarial e sua perfeita engrenagem. Indivíduos competentes e éticos na direção da Empresa-Brasil podem fazer diferença na valorização das ações sociais, cotadas em bem-estar na fictícia Bolsa de Valores do Governo do Brasil, em Brasília, Distrito Federal.

O cidadão que habita esta terra - bem brasileira e às margens plácidas - possui um contrato especial que lhe dá direitos como acionista e cliente na Brasil Brasileiro. Este documento chama-se Constituição da República Federativa do Brasil (ou magma carta). Nela, constam as regras comerciais e políticas, com direitos e deveres para serem cumpridos, e iguais para todos. A Constituição brasileira é simples, objetiva e moderna.

Os dirigentes da Empresa-Brasil são eleitos pelo voto direto de todos os acionistas: o povo. Os problemas que ocorrem nas mudanças dos cargos administrativos precisam de solução. As trocas de funções - muitas vezes por ambição política - ocorrem com tanta freqüência, que parecem descartáveis. A falta de respeito é tão gritante, que familiares dos citados dirigentes, dão seqüência na escala empresarial - muitas vezes administrada com total incompetência. Eles se julgam donos absolutos e acionistas majoritários. Vale lembrar que os rios, a costa marítima, o ar, as riquezas minerais - petróleo, ouro, ferro e outros - e toda fauna e flora, pertencem aos nascidos ou naturalizados nesta nação: garantia da magma carta.

Quem observa algumas filiais da Empresa-Brasil, fica boquiaberto! As torres dos prédios são luxuosas; os pisos em mármore e a organização física e empresarial - quase perfeitos! Seus gerentes e diretores têm à disposição, motoristas particulares, jatinhos e uma legião de subalternos. Geralmente moram em mansões ou apartamentos de condomínios fechados nas melhores áreas urbanas. Comem e bebem nos melhores restaurantes e não percebem a variação do câmbio, ou mesmo, quando a inflação promete uma guerra de nervos! Qualquer brasileiro pode solicitar uma auditoria nos setores públicos do país. Os descrentes perguntam: de que jeito?

O que se vê é desastroso! Os olhos críticos percebem que a elite tem seus direitos preservados na Empresa-Brasil. Em contrapartida, o povão recebe suas minguadas cotas em forma de salários mínimos e outros benefícios sociais - de valores indiscutíveis para o atual momento - mas, que não resolvem e nunca resolverão os verdadeiros problemas sociais, e de infra-estrutura da Empresa-Brasil. Alguns benefícios governamentais, paliativos no combate à pobreza, viram moedas políticas regionais e lembram rações alimentares, distribuídas aos seres humanos nas senzalas do passado. Algo está errado na forma como se pratica a administração na Empresa-Brasil.

LAILTON ARAÚJO
Enviado por LAILTON ARAÚJO em 20/11/2006
Reeditado em 29/04/2012
Código do texto: T296088
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor " Lailton Araújo "). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
LAILTON ARAÚJO
São Paulo - São Paulo - Brasil, 56 anos
114 textos (16661 leituras)
43 áudios (6226 audições)
12 e-livros (10900 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:56)
LAILTON ARAÚJO