Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MUNDO CEGO

Mundo imundo profundo
Nó que não ato
Nem desato
Problemas que não resolvo
Nem desacato.

Sorriso ido sofrido
Veneno ameno sereno
Que me deixa
Absorto, morto, pequeno.

Desamores, clamores, temores
Ternura que transforma em dores
Navego no mundo cego
Busco paz em vão, não nego.

Vida inocente, perdida
Alma impura, partida
Grito deserto aflito
Sepultura à vista, desisto!

Poema escrito em 23 de abril de 2000.



GENERINO GABRIEL
GENERINO GABRIEL
Enviado por GENERINO GABRIEL em 22/11/2006
Reeditado em 18/02/2013
Código do texto: T297816
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GENERINO GABRIEL
Juazeiro - Bahia - Brasil, 47 anos
39 textos (2758 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:40)
GENERINO GABRIEL