Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Me dá um "exílio oui"

As praias do Brasil
ensolaradas...são lindas
do sul ao nordeste,
a Floresta Amazônica
a festa do Círio do Nazaré,
a roda do mate, a roda do tereré...
e as belezas do Centro-Oeste,
encantam até ao cabra da peste...
Essas belezas me encantam, beleza fenomenal!!!
As florestas, as matas, o cerrado
e o nosso úmido Pantanal...

No frio do Sul tem até a bela nevada
alegrando os turistas e a criançada...
Amo! -Como diz a Hebe Camargo:
-Amo o Brasil de paixão,
mas não posso viver de ilusão
ficar quietinho até ir para o caixão...
Nosso fraco, não é nem a intríga
e nem a milicia...
estamos mau é na política
é coisa de Policia...
Apesar das belezas,
da oração e do Círio,
Acabarei pedindo mais uma vez
o Exílio...

Vou ter que procurar
uma pátria que me aceite...
Não aceito pedir esmola
em minha pátria e nação...
Quem não aceita a consciência
castrada...
Quem não beija o pé
do ditador de plantão,
rei da "ocasião"
é obrigado a viver isolado
ou viver de ilusão...
Brasil assim: não!!!
o cidadão brasileiro
de verdade: Não é cão...
Não podemos levar cuspe na cara,
matar o nosso sonho de altivez
a saida é deixar a patria
mais uma vez, mais uma vez...

vou pedir ao velho "Bush"
talvez dar levemente um toque:
pedir que me deixem
pintar pontes em Nova Yorque...
Se não der, busco outra patria em aliança,
pedir aos seguidores de Charles
que me deixem ficar na França...

Talvez, busque asilo na Argentina,
fique lá de "macaquito"
ou em qualquer país do Mercosul,
pode ser Paraguai, Bolivia de Evo
e se não der...
Fico na fronteira do Rio Grande do Sul...

Vou por meu nome com categoria
com muita elegancia e fineza,
vou pedir para a realeza...
-colocar meu nome:
na lista dos sem terra
da orgulhosa Inglaterra...

Aqui esta ficando dificil!
Não vão me deixar vender
meus livros de "terceira categoria"
nem na feira da periferia
ainda mais que a maioria é poesia...
-Os "rápa" já estão batendo
vamos buscar, então, outra freguesia!!!

Não posso mais trabalhar
não quero ir pra turma da maresia,
mas não me deixar nem pedir
a minha aposentadoria...

Parte do Congresso, já esta emasculado
compraram por antecipação,
-o voto daqueles que dizem representar a nação...
 
Ei você oui,
em dá um exílio aí, me dá um exílio oui...
como diz o advogado: - Fumus!!!

Este poema é minha homenagem a um pai de familia que esta sendo hostilizado, perseguido e humilhado pelo governo brasileiro por ter denunciado corrupção. Virou inimigo dos "donos da patria" da vez. 22/11/2006
Manoel Vitorio
Enviado por Manoel Vitorio em 22/11/2006
Código do texto: T298289
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Manoel Vitorio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 60 anos
4784 textos (175131 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:59)
Manoel Vitorio