Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O jovem. Memória do irmão 64

Ela viúva, só queria-nos um futuro brilhante
Ele, irmão, correto, talentoso e iluminado
Ela morreria por nós insanamente
Nos ali íamos levando e sonhando

Sem querer sessenta e quatro surrou-nos
Nossas palavras foram surdas silenciando
Perdidos e forçados a engolir toda a pinga
O promissor poeta não se calara, disse que “agente vai levando”.

Assim fomos rebaixados como formigas, oprimidos.
Mas em uma manha não éramos mais família
Sem ninguém ver ele meu irmão não quis esperar
Tolo, sonhou que venceria todo o mundo até o fundo

Entrou com Deus, e a roda viva inteira rubro
Correu, nem pensou em mim nem nela nossa genetriz
Apenas respirou um sentimento único, da pátria infeliz.
Gritou suas dores e sem notar foi calado e enterrado

Destarte o brilho jovem eterno perpetua pelas verdes matas
Acredito prevalecer o sentimento de liberdade perene
Daqueles irmãos que esqueceram suas mães criadoras
Para lutar pela pátria mãe gentil, chamada Brasil
Bardella
Enviado por Bardella em 22/11/2006
Reeditado em 22/11/2006
Código do texto: T298649

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fábio Bardella). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bardella
São Paulo - São Paulo - Brasil, 30 anos
9 textos (387 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:18)
Bardella