Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Roda-Viva

Este é assim
E isso não tem fim
No fim, convém
Ir sempre além

Outro que enlouquece
Em trombos e tropeços.
Intimam-no e aparece
Mantendo-se sempre ilesos

No fundo é igual
Somente, superficialmente, só.
Alma desaparecida entre nós
Esperando poder sonhar...

Sonhem todos seus sonhos!
Acreditem todos e exerçam!
O futuro é de todos!
O dinheiro, o único meio .

Este é assim
Acha que sonha
“besteira”, é o que acha
“burrice, só atrapalha”...

Crêem que nunca enlouquecem
É assim que parece
Mas quando o Mundo aperta
Idéias claras aparecem.

No fundo é igual
Preocupado com o real
Sempre com pressa
Como o vento, frio a beça!

Sonhem todos seus sonhos!
Rápido, não temos muito tempo !
Burros, sonhar é besteira ...
Ter é a grande sacada brasileira ...
 

 
Eu sou assim
E isso não tem fim
No fim, convém
Ir sempre além

Creio que enlouqueço
Em trombos e tropeços.
Intimo-me e apareço
Em segundos desvaneço ...

No fundo sou um só.
Só, um no fundo, pó.
Alma soterrada chorando,
um nó na garganta querendo falar...

Sonhem todos seus sonhos!
Acreditem todos e exerçam!
O futuro é de todos!
Os sonhos todos são um único .

Eu sou assim
Acredito no meu sonho .
“besteira”, já me disseram
“burrice”, já me julgaram...

Creio que enlouqueço
É assim que pareço!
Nas idéias, não esqueço ...
E Louco denovo lhes pareço

No fundo sou um só
Somos um só num único tempo,
Admiro em saber que não sou o único
A não desistir do que penso

Sonhem todos seus sonhos!
Pensem na beleza da vida!
Criem seus próprios conceitos
Respeitem pensares alheios.
 
 

Ela é assim
E isso não tem fim
No fim, convém
Querer sempre mais que tem.

Creio que enlouqueces!
Em trombos e tropeços
Intimo-te e apareces
Tua sombra te persegue

No fundo és uma só
Sozinha, bem no fundo, dó.
Alma soterrada pensando, no Pós.
Na vida, fazendo sem pensar...

Sonha todos seus sonhos!
Esquece-os quando acorda!
O futuro é imperfeito
E o presente, tão cínico .


Ela é assim
Pensa no seu sonho
“besteira” já lhe disseram
“burrice” já lhe julgaram

Com isso, logo entristece
Aos poucos se conforma.
As idéias, já as esqueceu
A felicidade desapareceu.

Mas no fundo é uma só,
Vivendo junto com outros,
Fazendo o mesmo que outros
O mais fácil, afinal.

Sonhava todos os seus sonhos
Um dia disse ao seu filho:
“burrice“- lhe disse.
-“besteira, desiste...”
FlávioDonasci
Enviado por FlávioDonasci em 24/11/2006
Código do texto: T300159

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FlávioDonasci
São Paulo - São Paulo - Brasil
285 textos (12155 leituras)
6 áudios (343 audições)
1 e-livros (134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:30)
FlávioDonasci