Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Casmurro

Uma parte de mim ainda te quer.
Outra parte de mim só te renega.
Essa parte de mim, que vês, que é mulher
Deseja-te, homem, e não nega.

Mas esta outra que em mim habita
Culpa-te, amor, e não te perdoa,
Por mais que minha razão reflita,
Por mais que essa sensação me doa...

Lembro o dia em que me deixaste
Por razões que dizes desconhecer.
E após quatro estações tu retornas,
Sem de tua sobra te aperceber...

Já esqueceste tudo o que fizeste:
O veneno mortal em tuas adagas
Transpassando o coração que quiseste,
Enquanto por minha dor indagavas...

Não morri, percebes? Ainda vivo!
E é teu o veneno que me alimenta.
E o doce amor, agora nocivo,
Me causa náusea, me atormenta...

Pois outra cama deixaste inda quente
Pra voltar à sua antiga vidinha.
E eu, mulher, te recebi contente
E te ouvi de novo dizer: _ Tu és minha...

Mas esta outra que em mim habita
Não quer pra ti uma vida enfadonha.
Quer, no fundo, que tudo se repita:
Devolver-te as adagas não é vergonha
Lilian Valéria Domiciano Cossuol
Enviado por Lilian Valéria Domiciano Cossuol em 24/11/2006
Código do texto: T300299
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lilian Valéria Domiciano Cossuol
Colatina - Espírito Santo - Brasil, 42 anos
2 textos (102 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:28)