Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Não convém contrariar!

Descartando todas as possibilidades...
Apagando passado... e presente...
Disfarçando riscos... e rachaduras...
Argumento fraco... tão insuficiente...
 
Qual a aranha... tecendo sua negra teia...
Para ali se proteger... quiçá disfarçar...
O que não pode, não quer mais calar...
Vaga o peito... a alma está a vagar...
 
A visão turvou na tempestade de areia,
A ave fantasia... perdeu suas asas...
Os duendes do mal...acercaram-se...
Espantando os mágicos e as fadas...
 
Céu escuro, vento uivante, redemoinhos,
Não há como o mar em fúria, acalmar...
É deixar o navio... sem conter o leme...
E aceitar a vida para sempre se apagar...
 
Mas do que está falando a poeta?...
Talvez tenha perdido o tino, está a delirar!
Reticências... mistérios... loucuras...
Dela, só sabe ela, não convém contrariar!
Mary Trujillo
30.10.2006
 
Respeite os direitos autorais
Mary Trujillo
Enviado por Mary Trujillo em 28/11/2006
Código do texto: T303453

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mary Trujillo
São Paulo - São Paulo - Brasil
387 textos (25776 leituras)
41 áudios (1840 audições)
8 e-livros (1171 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:14)
Mary Trujillo