Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O amigo e a bicicleta

Sou maluco, sou doidão.
Não rasgo dinheiro, não bebo pinga.
Não uso drogas, sou o que sou.
Curto a vida, como qualquer cidadão.
Não tenho carro, ando a pé.
Por isso hoje, já meio cansado.
Resolvi comprar uma condução.
Este era meu destino...
Encontrar um amigo na rua
Que veio logo me oferecer, uma bicicleta.
Fui comprando logo, pagamento a vista.
Feliz da vida sai, pela cidade.
Na rua um prego, que decepção.
Furei um pneu, parei, concertei.
Gastei meus últimos trocados.
Voltei para a rua, parei na esquina.
Junto á uma poça de lama
Um cara bacana, num carro importado.
Passou a mil, me deixou molhado.
O banho de lama, não foi nada.
Apenas, estragou minha roupa.
A única que eu tinha...
Decepcionado, sentei-me á calçada.
Uma viatura policial parou a meu lado.
Um policial com cara de mau
Olhou-me e disse, levanta malandro.
Olhei para o guarda, e fui logo dizendo.
Não sou malandro, sou trabalhador.
Meus impostos, eu pago em dia.
O guarda rindo foi logo me perguntando
Se fores, gente boa, o que fazes ai.
Com esta bicicleta a teu lado
Que á poucos instantes, foi roubada.
Eu não roubei respondi, um amigo me vendeu.
O guarda voltou a rir, e disse, seu grande safado.
Vais preso, vais receber teu castigo.
Para nunca mais roubar,
A bicicleta, de um  amigo.
Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 03/07/2005
Código do texto: T30674
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147484 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:04)
Volnei Rijo Braga