Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 
papel_de_parede_dia_da_mata2_copia.jpg

Tenho conseguido selecionar o tipo de energia
Que abastece o meu ser,
Que dá acabamento ao percorrer...
Que me corre nas veias,
Que configura a teia...
Em direção à harmonia!

Instalei-me filtros e alarmes para identificarem,
Quaisquer intrusos que aportarem...
As más intenções,
As duvidosas sensações...
Os péssimos pensamentos,
Todos os vazamentos...
Os sentimentos duvidosos,
Os atos perigosos...

O principal alvo a ser atingido com destreza,
É a tristeza...
O pior veneno!
Capaz de incapacitar qualquer enredo.
Mata aos poucos...
Deixa louco!
Corrói a personalidade,
Destrói a capacidade...
Entorpece...
Enlouquece!

Os sensores detectam também os internos sabotadores.
Terríveis castradores!
Ícones consagrados da autotortura...
Causam a mais danosa gastura!
Jogam sujo!
Corrompem o interno mundo,
Com suas sugestões,
Que mais se parecem a sanções!
Com suas opiniões,
Que são verdadeiros mentais aleijões!
Alimentam-se da covardia,
Promovem a apatia!

O principal componente desse sistema de segurança,
Que visa manter, mais ou menos, equilibrada a balança,
É o acordo feito com o passado,
Para conseguir um melhor resultado.
Até por respeito,
Coloquei-o no canto certo do peito,
Para servir de consulta de base,
Para a próxima fase.
Sem, entretanto, lançar mão dos seus meios,
Ou esteios.
Aprendi, para não repetir.
Tenho que prosseguir
E ver outro sol nascer.
É o que determina o crescer!







Vídeo indicado:
Marisa Monte
“Infinito Particular”

http://www.youtube.com/watch?v=qWSEZUHlhNI

IMG_2810.JPG

Claudio Poeta
Enviado por Claudio Poeta em 11/08/2011
Código do texto: T3152902
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Claudio Poeta
Itacaré - Bahia - Brasil, 58 anos
1877 textos (76275 leituras)
3 áudios (215 audições)
1 e-livros (65 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 05:23)
Claudio Poeta