Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A POLÍTICA CANALHA

O inimigo ataca. Está atento e forte.
Lança e fere, trama e mata.
Divide os homens e recolhe o lucro,
o fruto da sua gana.
São tramas dos carapálidas
e suas mutretas.

Confira: tudo que respira conspira,
portanto, Torquato Neto ensina:
Vamos tentar de novo
não podemos ser reféns da morte,
viver rodeado de mortos.

A política canalha julga,
falseia, aponta, apronta, distorce,
engana e destrói,
está impregnada de morte.
Amarra o povo, o país, a nação
aos seus interesses vis,
avilta, distorce e junta mais capital.

É preciso navegar,
ir além dos limites, romper cercas,
derrubar tronos e castas
ir em frente,
além desse bosque de almas penadas.
Romper esse teto baixo de imposições seculares,
de preceitos e preconceitos.

Ah! Os preconceitos, sim,
temos que destruí-los todos
traze-los da caverna do ser à luz
É preciso ser lampião, corisco, conselheiro
e preciso estar vivo e tentando sempre,
não dar folga,
fincar a cunha em qualquer nesga de luz
acender a tocha e iluminar a cidade.


cp-araujo@uol.com.br
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 15/07/2005
Reeditado em 21/10/2006
Código do texto: T34607

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32926 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:38)