Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ciclo Alucinógeno

Simples como dizer tudo é dizer nada
O próprio nada já se faz tudo
E de tudo terá algum significado qualquer
Que satisfaça pobre ser-por-todo-sempre-[Amém]-ignorante
Dito em altos-falantes: "sois seres humanos"
Criando e descriando o não-criado
Já se esvai fermentado
O sulco intra-orgânico
De nosso corpo febril
Agarrando qualquer impulso mental
Como vício de vida natural
Aqui e lá pra onde rastejar
Mastigar a febre flamejante irá
Até inflamar e se acabar
Rupturas se achará
Formando cavidades secressivas
Por onde quer que se mirar
A lua já cai torta
E o mundo dorme na derrota
De uma vida insatisfatória
Inominável caminho por onde pisamos
E mal sentimos o chão a pisar
Flutuaste sim!
E não somente em sonho se há de dormir.
Orbe Sardônico
Enviado por Orbe Sardônico em 24/07/2005
Código do texto: T37395
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Orbe Sardônico
Porto Feliz - São Paulo - Brasil, 30 anos
11 textos (501 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:17)
Orbe Sardônico