Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
O deserto do Forte

No calçadão da praia de Copacabana
Meu herói, um menino parecido comigo, traz
Pela areia movediça distorções
Neste, como em diferentes combates
De uma ingênua calma veste sua nobreza
Sua cômica gesticulação emudecida pela dor corpórea
Unhas e lábios pintados sob a dissimulação
E diferente artifício de sublimidade.

Fantásticos longevos
Do sol as articulações separam como palmas espinhosas
Enquanto juventudes venenosas deslizam
Nas aromáticas águas do oceano
Suas carcaças inábeis para amar
As tépidas águas inorgânicas

Com que o deserto atribuiu ao Forte de Copacabana
Ultimamente sua intensa grandeza inexplorada
Bustos detonados deslealmente afagados
Entresilhadas bases, estilo gótico ianque
De onde dolentes apodrecidas patologias projetam
A beira do mar

Em atitudes originais a idade preguiçosa e lenta
A meninice enquanto caída joga-se contra o mar
Gotas pulcras partindo e alforriando bacanas.
Definhados rostos em dores e recordações
A quem foi poupada, a fome, um semblante talvez admirável
De sua viscosa sinecura escanifrada deformada a debilidade densa.
Sobre uma bancada de seixo colocada, no colo de sua mãe a cabeça,
Infinitamente o olhar alheio

Invisível um moleque azul acaba em longos esguichos
De sua matéria-prima incompleta - o defeito inato - a fisionomia abatida.
Sem aceitação fez da jovem uma janota
Vigoroso e profícuo o nadador
Coleta os restos daquelas vidas nos braços de tempo em tempo
Em suas cadeiras de rodas os senta e os restitui a guardiã expectativa

E lá eles se vão para enfrentar o que resta de mais um dia
Colocados contra o deserto nos precipícios da recordação,
Desnudo e maltratado o amplo deserto, por calcificações atípicas seguro
E absortos vegetais lenhosos; o deserto remoto e rugoso amplo
Observador das linhagens; o deserto amplo em duelo constante pela vida
Habitado por arvores e insetos que só a ciência sabe de que modo vivem
E, rasgado por ventos que vêm, ninguém sabe dizer.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 06/08/2005
Reeditado em 15/04/2006
Código do texto: T40650
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3129 textos (79579 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:22)
R J Cardoso