Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

tem-se o universo, porque andar para tras.


Hoje ao sentir-me só, pensei.
Porque, me cercar com a solidão.
E deixar que o silencio cale minha voz.

Impedindo-me, de gritar, cantar, recitar.
Impedindo a poesia, fluir de minha alma.
Porque algemar minhas mãos, as impedido.

De escrever, construir, plantar, colher, criar.
Porque resumir a vida, se é só o que tenho.
E se preciso viver, porque diminuir espaços.

Tem-se o universo, porque andar para trás.
Tendo a minha frente, um longo caminho para andar.
Porque, me desfazer de um sonho, se gosto de sonhar.

Porque fazer de meu riso, um rito amargo de dor.
De que servirá abdicar de sonhos, e criar pesadelos.
Porque criar aparências, não aceitando a verdade.

Porque me perguntar, se posso perguntar a você.
Que foi amigo de tantos anos, e que me viu nascer.
Porque meu Pai, você, tinha de me deixar só?


                                             

 



 
Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 12/08/2005
Código do texto: T42036
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147459 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:46)
Volnei Rijo Braga