Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amargura


  Estou deitada no leito
  com uma revolta a bramir,
  no pensamento, no coração.

  É uma dor angustiante, por lembrar
  que agora milhares de famintos clamam
  por um pedaço de pão.

  Têm fome de alimentos, de amor,
  de tudo que faz bem.
  Têm carência de atenção, de toques, de proximidade.

  Esta incompreensão causa-me arrepios,
  por ver meus irmãos sofrerem carências, decepções.
  Levam-me ao delírio, a uma enorme amargura.
marlene andrade reis
Enviado por marlene andrade reis em 18/08/2005
Código do texto: T43472
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
marlene andrade reis
Taguatinga - Distrito Federal - Brasil
250 textos (12508 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:45)
marlene andrade reis