Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O rio

Meus olhos tocam o rio
que triste, se deixa tocar
não me parece tão bravio
quem sabe, deixou de lutar

Nele jogo meus pensamentos
Tão leves, se deixam levar
Todo coberto de sedimentos
O rio, parece chorar

Corre solto, espumando de raiva
O rio doente, não pode repirar
Leva a morte em sua vertente
dejetos humanos a sufocar

Lembra, vô, daquele tempo?
Em que tão paciente
me ensinava  a pescar?
Hoje, sento à margem
Com a mesma paciência
Em que espero a vida voltar


William Gali
Enviado por William Gali em 22/08/2005
Código do texto: T44373

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (André William Santos ( Pseudônimo: William Gali )). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
William Gali
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 34 anos
38 textos (3723 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:34)
William Gali