Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TESTAMENTO

“TODO CANTO DE LIBERDADE VEM  DO CARCERE”
GORCH FOCK – JOHANN KINAU




Quero pisar num leito de folhas apodrecidas pelo sal de minhas lágrimas;
E em meio ao sorriso de meus filhos alçar vôo e construir horizontes...
Mas para isto é preciso:
Purgar o sangue amarelado pelo tempo,  poder e negócios e sem demora
Expulsar os pensamentos  que ousam usurpar nossos sonhos.
Quero voltar a cantar no silêncio desta fria cela,
E com as mãos nuas cavar minha liberdade
(melhor gastar as unhas e dedos no concreto à ser escravo e passear acorrentado pelos jardins)
À noite, quando olhar minhas mãos vermelhas de terra e sangue,
Dormirei tranqüilo,  pois Mefistófeles não comprou minha alma...
E  em outras celas,
Com o mesmo canto, a mesma dor e sangue
outros túneis serão cavados,
amarras rompidas, cercas cortadas...
(no fim do meu canto sei que não estarei só...)

DARWIN FERRARETTO  12/08/2005

DARWIN FERRARETTO
Enviado por DARWIN FERRARETTO em 06/09/2005
Reeditado em 06/09/2005
Código do texto: T48111
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DARWIN FERRARETTO
Santo André - São Paulo - Brasil, 53 anos
20 textos (1424 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:26)
DARWIN FERRARETTO