Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sobre a estrutura dos POETRIX.

Sim dos poetrix, porque mesmo no plural, ainda poetrix, duplix, triplix, multiplix.

Apesar de já existirem aqui escritos sobre a estrutura de um poetrix, e cito o excelente texto de Angela Bretas, uma das coordenadoras do MIP - Movimento Internacional Poetrix, publicado no Recanto das Letras, observo que ainda cabe falar sobre o assunto. De fato, tenho lido várias composições, algumas bem atuais, que os autores enquadraram como Poetrix, sem no entanto obedecerem às regras que os caracterizariam como tal.

Apesar de ser linguagem poética recente, e linguagem viva, portanto sujeita a alterações e evolução, como todas são, como linguagem é convenção. E é dessa convenção à que chegamos no MIP que trago o que abaixo exponho sobre a estrutura de um poetrix.

Quando tomo por referência o convencionado no MIP, o faço por ter sido essa a "instituição" (na verdade um movimento) que desenvolveu e divulgou os poetrix dando-lhes a estrutura que prevalece. Seu principal fator de credibilidade é estar sob a coordenação do criador dos poetrix, o poeta Goulart Gomes, que conta com um grupo de excelentes e dedicados poetas, dentre os quais alguns lingüistas, mestres e doutores em língua portuguesa, e  que discutem e desenvolvem a teoria do poetrix.

Pois bem, até que uma nova ordenação possa ou venha a acontecer, a estrutura de um poetrix é a que segue:

- Tema: O poetrix não se subordina a qualquer tema, conceitual ou formalmente. Não está restrito a quaisquer eventos, estações do ano, momentos da vida e da natureza. Sendo uma poesia "urbana" não exclui a vida do campo. Como manifestação livre trata de idéias e momentos que tenham inspirado seu autor. Também não é "arte engajada". Estética e logicamente trata de sensações físicas, ambientais, percepções visuais e paisagísticas, emoções, conceitos, sociedade e pensamento. Se não dá espaço, por ser minimalista, a "derramamentos" emotivos não deixa de registrar momentos de fortes emoções, comunicadas em sínteses, muitas vezes fortíssimas. O envolvimento autor_e_obra e antropomorfismos não são vedados (diferentemente dos haicais, que procuram evitar tais conteúdos). Temporalmente, não está vinculado ao passado, presente ou futuro, e o seu tempo nem é linear ou cíclico. Pode nem mesmo se tratar de um tempo real.

- Título: nos poetrix o título é obrigatório e parte importante do mesmo. Pode funcionar como um mote, integra-se ao poema, dá-lhe coerência, produz contradições que levam ao "susto" ou estranhamento bem vindo, e induz o desenvolvimento da poesia. Não deve ser elaborado de forma a que o poetrix seja uma quadra sem título que se disfarça em terceto.

- Terceto: uma estrofe composta de três versos livres quanto a rima (que também pode ser usada, quando natural e bela), e onde o rítmo deve ser compatível com o assunto e a natureza do tema (parece que isso é da poesia).

- Versos: O tamanho dos versos também é livre, não tendo um rígido número de sílabas (como os 5/7/5 dos haicais tradicionais). A contagem das sílabas deve ser feita até a última tônica de cada verso. No total, o poetrix comporta no máximo 30 sílabas, naturais ou modificadas por contrações, elisões, sinéreses e sinalefas.

- Figuras de linguagem, gramaticais e de estilo:  Tratando-se de poesia minimalista, recorre a essas figuras para no continente permitido, conseguir expressar o conteúdo que se pretende, ou que aflora. Metáforas, hipérboles e elípses são permitidas e mesmo recomendadas por questões estéticas ou práticas. Polissemia, catacréses, aliterações, hipérbatos, zeugmas, anacolutos, etc... um arsenal à disposição do poeta.

- Grafismos: além das letras do alfabeto, sinais gráficos, os convencionais, são usados com certa freqüência. Parênteses, hífens, signos da matemática, interrogações, exclamações, pontos, chaves e reticências....

- Neologismos e deformações das palavras. Regionalismos e estrangeirismos : também e tudo à disposição do autor.

- Concretismo: embora ainda se ensaiando e não discutido mais profundamente, por manipulação da geometria dos versos e pela construção de signos a partir dos sinais gramaticais, o concretismo se insinua e se esboça em algumas composições.

- Poesia compartilhada: Os poetrix se desdobram pelo encadeamento de dois ou mais poetrix de autores que se alternam, dando origem aos duplix, triplix e multiplix.

Foram essas as percepções, as informações e a colaboração de mais um membro do MIP que também freqüenta o Recanto das Letras, que pretendi oferecer aos leitores, mais como assunto para desenvolvimento, discussão e meditação que dogmas gramaticais, estéticos ou literários.

O MIP - MOVIMENTO INTERNACIONAL POETRIX : Um movimento com a participação de aproximadamente 150 poetas, distribuídos em vários Estados do Brasil e em aproximadamente 7 ou 8 países. Coordenação Geral de Goulart Gomes, poeta baiano, criador do Poetrix, coordenações regionais situadas em Pernambuco, Brasilia, São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Rio Grande do Sul, Estados Unidos e Portugal. Poetas associados: do Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos, Austrália, México, Argentina, Itália, Colômbia, e Venezuela (com base nas poesias divulgadas durante o ano de 2005)
Marco Bastos
Enviado por Marco Bastos em 11/09/2005
Reeditado em 16/01/2012
Código do texto: T49544
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para "http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=1583 "). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Bastos
Salvador - Bahia - Brasil, 72 anos
1717 textos (87457 leituras)
2 áudios (495 audições)
1 e-livros (791 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:40)
Marco Bastos