Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minha Poesia

Minha poesia se alastra,
como hera rente ao muro.
Vai tomando meus espaços,
colorindo meus vazios,
e deixando aonde passa,
como um rastro, a minha vida,
entre linhas mal traçadas,
como esquina, em Avenidas,
vai deixando aonde passa,
tantas coisas mal sentidas,
tantas dores, tantas mágoas,
tantas frustrações vividas...

É o espinho que protege,
mas também, que sangra e fere.
É o olhar que enternece,
mas também, que impõe censura.
É a força vítrea e dura,
um cristal, bruto, na pedra.
É uma fonte eterna e pura,
que deflora, e rompe a terra...

Minha poesia...
Não tem Era, nem espera...
No cortejo à madrugada,
faz versejos de ilusão.
Vai bailando aonde passa,
vai contando, assim, sem graça,
num cordel, meu coração...

Day Moraes
Enviado por Day Moraes em 09/10/2005
Código do texto: T58251
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Day Moraes
Angra dos Reis - Rio de Janeiro - Brasil
137 textos (4782 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 14:07)
Day Moraes