Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavras são mais, palavras...

Vem meu amor, deite teus olhos nos meus,
largue o corpo entre os meus braços,
que meu peito é teu remanso, é toada de canção,
quando o medo te aporta, o limite te sufoca,
deixa marcas pelo rosto, de casaço e solidão.

Vem, que o labirinto da vida, não guia.
Que o tempo só tem serventia, ao que sabe,
viver no respeito da hora, e que até pra quem chora,
não haverá cruel dia, nem amanhecer de vingança,
que acolha a bonança, antes da chuva cair...

Vem meu amor, para estas mãos protetoras,
que o destino é a ladeira, e é a pedra no chão.
Que íngreme é o sonho, e sôfrega a subida,
se não tiver, do primeiro pisar, ao infinito passo,
o amor armadura, e o amor, curador da ferida.

Vem, que melhor aprende, aquele que observa e cala.
Que aceita os limites, e atravessa o portal da vida.
Aquele que na diária luta, não teme e não bate.
Não recua, não nega e nem se abate,
e que ao final, sorri, e oferece a outra face...
Day Moraes
Enviado por Day Moraes em 10/10/2005
Código do texto: T58277
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Day Moraes
Angra dos Reis - Rio de Janeiro - Brasil
137 textos (4782 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:10)
Day Moraes