Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minha Poesia

Respiro forma etérea,
E vomito poesia
Não rica mas venérea
Latejando minha ironia

As palavras são usadas
Emitidas quase a esmo
São garras afiadas
Contra plácido elmo

Se contra mim é a literatura
Por mim é a tortura
Se foi-se a doçura
Ficou a idiotice carrancuda

E pobre de quem lê
Este pobre quase autor
E mais pobre a rima se vê
Pelo menos há a pena do leitor!

Gustavo Fernandes
Enviado por Gustavo Fernandes em 12/10/2005
Código do texto: T59092
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gustavo Fernandes
Olinda - Pernambuco - Brasil, 34 anos
55 textos (2018 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:26)
Gustavo Fernandes