Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto






Não entendo...


Me julgam tão inteligente,
uma mulher de tantas vertentes!
Me interesso pelos assuntos,
quero sempre estar  informada,
um pouco de tudo, conhecimentos gerais,
notícias do mundo, aquilo que sai nos jornais.

Anos na escola, na faculdade,
idéias abertas, alguma novidade.
Dinamismo no trabalho, força de vontade,
provando o tempo todo que tenho qualidade,
buscando o sonhos nas estrelas, com igualdade
a fim de conseguir a tão sonhada liberdade.

Porém, o amor sentido...
é tão vasto em meu entender.
Me sinto burra, diante do seu proceder.
Como disse Clarice e vou repetir
a poeta que a mim faz comover:
"O bom é ser inteligente e não entender."

Não entendo meu amor,
apenas sinto e não posso explicar,
não conjugo amar por amar, que tolice...
amo e sinto saudade, parece crendice
"Como ter loucura sem ser doida.
É um desinteresse manso, é uma doçura burrice!"










TRANSPARêNCIA
Enviado por TRANSPARêNCIA em 22/08/2007
Reeditado em 10/05/2011
Código do texto: T619346

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Suavidade). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre a autora
TRANSPARêNCIA
Campinas - São Paulo - Brasil
732 textos (39462 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 01:51)
TRANSPARêNCIA