Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POESIA NAS PROPORÇÕES HUMANAS
Juliana Valis




Não há poesia na exatidão,

Assim como não há dia que paire

Entre a matemática e a escuridão,

Na esperança inócua de veracidade...




Poesia é a própria tempestade

De emoções, de sentimentos, de sonhos,

Em cada verso que nos invade

Na cadência de tempos, alegres, sós, tristonhos,

Próprios da abstração sem peso ou idade

Nem cor, nem status, nem rótulo algum... 





Por tudo isso, poesia não tem preço

Nem se vende no comércio do abismo,

Pois o coração se alimenta do amor, do apreço

Nas proporções humanas sem eufemismo,

Seja noite ou seja dia, em cada sonho que conheço

Fluindo pelos labirintos da vida, sem calma;

Poesia, portanto, não tem a priori um só preço;

Mas o lídimo apreço da alma.
Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 28/08/2007
Código do texto: T626961

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3973 textos (881704 leituras)
4 e-livros (1863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 15:58)
Juliana Silva Valis