Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A PRÓXIMA VÍTIMA

Conceitua-se como vítima o ser que sofre uma má ação de outrem ou que é presa de outro. E isso não apenas na esfera humana, mas na animal também. Assim, uma pessoa pode ser vítima de ladrões, de falsários, estelionatários; de maus governos e governantes; de assédio; de calúnia; de enfermidades; de maus tratos; de adversidades climáticas e atmosféricas, cataclismos; peste, fome; enfim. Existe um sem número de coisas que podem fazer de uma pessoa, de um país, de um povo, uma vítima. E por detrás das causas de cada uma dessas coisas, sempre existirá alguém, ou algum agente causador, ou influenciador concorrendo para a consumação ou consecução do ou dos fatos. Por vezes um fato pode trazer sucessivas conseqüências, gerando uma cadeia de acontecimentos geradores de vítimas. Muitos têm sido vítimas de balas perdidas, raios, terremotos, surtos de doenças endêmicas, etc. Na seqüência dos acontecimentos, por vezes é possível prever-se o que sucederá, quais as conseqüências, ou quem poderá ser a próxima vítima.

Alguns acontecimentos têm levado homens leigos em matéria de teologia a especularem sobre a inexistência de Deus devido não entenderem o por quê de certas catástrofes. Pois dizem, se Deus existe e é poderoso, e também domina sobre tudo, por que permite tais acontecimentos nos quais são colhidas tantas vidas, inclusive crianças inocentes?

Bem, diz a Escritura: “De que se queixa o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados”. Então cada um sofre por seus próprios delitos. Mas, e as crianças que nada fizeram, diria alguém? Por que também são vitimadas? Diz a Escritura que Deus visita a maldade dos pais nos filhos. Ex. 20:5. Também que a terra pranteia e se murcha por causa dos seus moradores, porque transgridem as leis e quebram o pacto eterno. Is. 24:4 e 5. E este significa os mandamentos de Deus, cujo pacto Deus faz com aquele que quer viver sob as suas asas. E que são propostos por Deus para reger o seu povo e lhe propiciar salvação.

Assim, o que sofre penalidade não estava sobre a proteção de Deus, caso contrário não sofreria como vítima, ou não seria vitimado.

Por conseguinte, existe quem esteja sendo vítima de engano e enganado por seus líderes religiosos. E ainda que pareça estar seguro, esta segurança é ilusória e enganosa, o que lhe ilude. É que devido parecer seguro, pensa que a sua transgressão não será descoberta e requerida por Deus. E pensa que por parecer seguro é sinal de que Deus lhe está protegendo e assistindo, pensando, assim, que Deus não fez conta das suas más ações. Tal vítima de maus juízos não cogita que Deus há de trazer a juízo toda obra, quer seja boa, quer seja má, e que há de retribuir a cada um segundo essas mesmas obras. Isso ele sabe, mas prefere ignorar. Ou por tê-lo invocado com lábios falsos, lhe pedindo perdão sem confessar o seu pecado e sem lhe oferecer o sacrifico da sua própria alma, como preço do seu pecado, pensa que já está isento de culpa, enganando-se.

E como Deus é chegado à boca do ímpio, mas está longe do seu coração, a próxima vítima será o filho dele que virá a ser a presa.

Ora, nada acontece por acaso. Nenhum acontecimento catastrófico de grande magnitude acontece sem motivo. Até nos ataques de insetos e pragas tem quem esteja por detrás. Veja esta revelação:

Então proferirás este provérbio contra o rei de Babilônia, e dirás: Como já cessou o opressor, como já cessou a cidade dourada! Já quebrantou o Senhor o bastão dos ímpios e o cetro dos dominadores. Aquele que feria aos povos com furor, com golpes incessantes, e que com ira dominava sobre as nações agora é perseguido, sem que alguém o possa impedir. Já descansa, já está sossegada toda a terra; rompem cantando. Até as faias se alegram sobre ti, e os cedros do Líbano, dizendo: Desde que tu caíste ninguém sobe contra nós para nos cortar. O inferno desde o profundo se turbou por ti, para te sair ao encontro na tua vinda; despertou por ti os mortos, e todos os chefes da terra, e fez levantar dos seus tronos a todos os reis das nações. Estes todos responderão, e te dirão: Tu também adoeceste como nós, e foste semelhante a nós. Já foi derrubada na sepultura a tua soberba com o som das tuas violas; os vermes debaixo de ti se estenderão, e os bichos te cobrirão. Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundo como o deserto, e assolava as suas cidades? Que não abria a casa de seus cativos? Todos os reis das nações, todos eles, jazem com honra, cada um na sua morada. Porém tu és lançado da tua sepultura, como um renovo abominável, como as vestes dos que foram mortos atravessados à espada, como os que descem ao covil de pedras, como um cadáver pisado. Com eles não te reunirás na sepultura; porque destruíste a tua terra e mataste o teu povo; a descendência dos malignos não será jamais nomeada. Is. 14:4-20.

Como vimos, o texto é bastante esclarecedor. O rei de Babilônia é símbolo do arquiinimigo dos povos. Observe nas partes sublinhadas o seu proceder, e maldade. É ele que faz tremer os reinos, que põem o mundo como um deserto, e assola as suas cidades e que mata o seu povo.

Portanto, o povo que está sofrendo essas catástrofes que tem havido é povo que tem um líder cruel, do qual é deus e que não o poupa. E esse povo, por não discernir, acaba culpando o criador pelas ocorrências catastróficas e ou outras adversidades que fogem ao controle dos humanos.

Cuidado, deixe de ser uma vítima dele. Pois o seu filho poderá ser “a próxima vítima”.
oliprest
Enviado por oliprest em 29/08/2007
Reeditado em 17/10/2011
Código do texto: T629493
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2148 textos (181562 leituras)
245 áudios (2545 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 17:21)
oliprest

Site do Escritor