Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Subida

Vejo ao fundo, vejo ao longe, no cenário do horizonte, tal que nunca vi tão bela, rodeada de janelas, que me mostram para todos. Com tuas curvas estonteantes , que a mim, só cabe amar, e com igual semblante, que poemas jamais vão mostrar. Que lástima tua perda! Por todos que em ti passaram, mas de ti não levaram o lume.  Lume esse que pode ser tão belo quanto o sol que te ilumina e, ao mesmo, tão soturno quanto um quarto em trevas, fechado. Oh! Subida, como posso amar-te assim?  Sei, que como todas, tu tens fim, que ao arfar, alcançarei um dia a parte plana sobre ti. Mas, subida, como homem de fidalgo garbo, não me contento em passar, como fazem os vulgos.  Quero que meu percurso seja lembrado por todos. Que no zéfiro se ouça meu nome e que a beleza dos álamos faça lembrar a minha. Marcarei, subida minha, esta impávida estada em ti oirando cada passo que me ergue. Assim, quando ao bálsamo me entregar, poderei de longe olhar e, com orgulho, a todos bradarei:
—Essa foi minha subida!

Tadeu Buzzi
Enviado por Tadeu Buzzi em 29/08/2007
Código do texto: T629650
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tadeu Buzzi
Vassouras - Rio de Janeiro - Brasil, 26 anos
15 textos (2813 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 05:30)
Tadeu Buzzi