Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INTRÉPIDOS LABIRINTOS DO AMOR
Juliana Valis




Misturo-me aos sonhos rendidos na esperança,

Como ilusões incautas declamadas pela alma,

Nas mais altas ilusões da fé que dança

Nos corações, no amor que vem e nos acalma...




E, no ápice do infinito, meu afeto

Mistura tempo e nostalgia numa prece

Que o sentimento apenas canta, bem discreto,

Como aurora de um suplício que arrefece...




Agora, aqui, na alma, exulta uma canção

De luz rendida ao próprio enigma da vida,

Entre os amores, nas próprias ondas que se vão

No mar das dores que o coração nos elucida...




Ah, Se soubéssemos decompor as incertezas

Em tempestades do amor que vêm, sem calma,

Talvez pudéssemos viver nas correntezas

Do próprio bem que transbordasse, aqui, na alma !




Mas nosso laço tão efêmero com a vida

Mostra-nos, por vezes, tanto caos e tanta dor

Que desejamos ver a lágrima rendida

Aos labirintos mais intrépidos de amor !


---





Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 31/08/2007
Reeditado em 31/08/2007
Código do texto: T632407

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3973 textos (883891 leituras)
4 e-livros (1863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 08:42)
Juliana Silva Valis