Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rios de estanho

Nao é o mundo cada dia mais estranho,
Sou eu que cada vez menos entendo.
Rios de aguas claras de estanho ...
De onde provem meu sustento.

Papéis tombados em pequenos cinzeros ...
Queimam mais do que vossas chamas.
Esse é o fruto de todos seus herdeiros,
Como folhas caidas de tortas ramas...

Em terras inférteis e abandonadas...
De onde nem o tempo nem o ar ...
Curam as dores que foram ilhadas.
É a mesma solidao que sente o mar.

Sao suas gotas tao diminutas ...
Que elas mesmas nao o sabem,
O valor que elas podem ter juntas ...
É maior do que o que realmente valem.

Luiz Gomez
luiz gomez
Enviado por luiz gomez em 31/08/2007
Código do texto: T632599

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
luiz gomez
Chile, 28 anos
46 textos (1165 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 14:36)