Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Penitência


Olhem-me por inteiro
Percebam aonde chega alguém
Que violou a si mesma
Há renúncias em mim insistentes
Que em raízes contaminaram a existência
Lagartas deslizantes e envolventes
Não há brilho nessa figura que se transformou
Em cascas de uvas pisoteadas
As essências aos outros, o melhor
Servido nas salas em que não entrei
Sou apenas um número não incluído em primazias
Fiz o que não quis e a muitos agradei
Não disse meu sentir, calei-me
Fingi estar satisfeita
Blefei contra mim mesma
Mergulhei nos porões, não ousei
Rebaixei-me nos abismos dos montes que criei
Sobraram-me farrapos dispersos
Reduzi-me a súplica da clemência insistente
Corroída pelo remorso do desamor a mim mesma
Remanescentes dos desatentos diários
Sabor amargo que enjoa e
Caminhada em calvário
Percorro o mundo do abandono
Povoados de medos
Monstros que eu mesma lapidei primorosamente
A pedra se tornou resistente, um  sepulcro
Em plena vida


             

              “Mas não pude deixar de querer lhe mostrar o que pode acontecer com uma pessoa que fez pacto com todos, e que se esqueceu de que o nó vital de uma pessoa deve ser respeitado” Clarice Lispector

Regina Romeiro
Enviado por Regina Romeiro em 31/08/2007
Código do texto: T632781

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Regina Romeiro
São Sebastião - São Paulo - Brasil
482 textos (29621 leituras)
4 áudios (710 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 03:05)
Regina Romeiro