Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SIMPLESMENTE
Juliana Valis




Rendo-me simplesmente ao infinito das canções,

Meu verso é grito desse inverso em coração,

Assim, disperso, entre invernos e verões,

Em sós amores como ondas que se vão...




E nós que somos labirintos entre dias,

Como profusões de enigmas sempre tão humanos,

Vemos canções resplandecendo em doses frias

Nas dimensões do amor que verte em tantos planos...




E nessa síncope de sonhos tão sem calma,

Brada, no âmago do ser, um só pedido

Do amor mais lídimo que transborde numa alma,

Além da dor, além do caos, em céu rendido ! 




Ah, trêmulos versos que fluem pela vida,

Mostrem o cerne de um sonho além do mundo,

Nos universos que o sol nos elucida,

Irradiando a chama do amor, assim, profundo !




E quando pudermos, enfim, apenas ser

Como músicas declamadas pela paz,

Veremos na alma a própria luz do alvorecer,

Simplesmente incólume como o amor que nos perfaz.





---









Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 01/09/2007
Reeditado em 01/07/2008
Código do texto: T633980

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3973 textos (881759 leituras)
4 e-livros (1863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 11:45)
Juliana Silva Valis